quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A diferença

E quando o ônibus começou a andar, um rapaz surgiu correndo, ofegante e vermelho ao seu lado, batendo desesperado na porta. "Espera! Espera!", gritava. O motorista, que parou e abriu a porta a contragosto, atrasou trinta segundos em sua rota. Uma mulher que reclamou que aquilo era falta de consideração com os outros chegou ao trabalho no mesmo horário de sempre. E um senhor que xingou essa juventude de hoje em dia não se atrasou, porque estava apenas passeando pela cidade. Mas o rapaz, ele viu seu filho nascer.


Tyler Bazz

Um comentário:

Marina disse...

Ninguém pensa no outro mesmo, é incrível. Adorei o final.