segunda-feira, 15 de abril de 2013

Valeu! :)



Eu não sei agradecer. Quando eu ganho um presente, sempre tenho certeza que deixo sem querer no ar uma dúvida sobre se eu gostei ou não, porque não consigo mais que soltar um “Valeu!” e um sorriso. Às vezes nem um abraço você ganha por me dar um presente (e eu sempre gosto do presente - eu consegui levar minha vida pra um ponto em que eu não ganho presente por obrigação de ninguém, então é sempre sincero, e isso já basta pra eu gostar). Mas tem um sorriso. E isso vale duas ou três vezes mais praquelas coisas que não são exatamente presentes. Aquelas coisas pequenas que alguém faz só pra te deixar feliz sem motivo, só pra te arrancar um sorriso. Sempre que alguém faz alguma coisa muito legal pra mim, eu sorrio. Mesmo que eu não esteja muito a fim de sorrir para a pessoa, seja lá por qual motivo, eu não consigo segurar e antes que eu perceba meus dentes já estão lá, se exibindo.

E é disso, apanhando das palavras por tentar não me esconder atrás de ficção, que eu estou tentando falar.

Não importa quem você é, ou o quanto você é odiado, ignorado ou amado por todo mundo, sempre tem alguém que, pra sempre ou por certo tempo, gosta muito de você. E essas pessoas têm uma mania linda de tentar fazer coisas legais pra você, esperando em troca nada além de melhorar seu dia, de te arrancar um sorriso. E mesmo que elas sempre consigam, nem sempre a gente deixa elas saberem disso. Às vezes a gente esconde o tal sorriso, às vezes a gente sorri longe, e não faz mais nada.

E você já esteve do outro lado. Você sabe que quando você gosta muito de alguém e faz algo legal pra essa pessoa esperando em troca nada além de melhorar o dia dela, de arrancar um sorriso, e ela mostra que você conseguiu, e que ela aprecia isso, muda tudo. Muda tudo, não muda?

Eu detesto assumir o posto de escritor metido a dar conselhos e lições de vida, mas eu tenho que dizer isso: nessas situações, agradeça. E agradeça tão sinceramente quanto o sorriso que você deixa escapar. Dá um jeito de mostrar pra pessoa que ela fez algo muito legal. Não importa se você anda puto com ela ultimamente, ou se você está tentando se livrar dela porque as coisas já não são mais como eram. A melhor hora pra agradecer por esses gestos é quando eles são feitos.

Porque às vezes vai parecer que o mundo inteiro está se esforçando pra não deixar você sorrir (as casas de apostas dizem que deve ser numa segunda-feira), e às vezes você vai estar precisando que te arranquem um sorriso e não vai ter ninguém disposto. E aí você acaba achando um recado num guardanapo, um desenho antigo ou uma coisinha à toa, e pronto. E se você não agradeceu lá atrás, faz o quê? A pessoa pode estar ali perto, na sua tela, mas tem coisa que você prefere não mexer, e coisa que você não tem o direito de mexer. E vai ter os casos em que vocês perderam tanto o contato que você nem lembra o sobrenome dela, pra procurar.

Um agradecimento sincero, na hora, pode parecer um saco, mas é uma certeza que você tem de ter feito a coisa certa. É um peso que você tira das costas no futuro. E tem dia que qualquer pesinho a menos faz uma diferença enorme.


Tyler Bazz

13 comentários:

Amanda Tracera. disse...

Acho que foi um dos posts mais sinceros que eu já li aqui, sem falar que foi o que eu mais me identifiquei. Admito que eu prefiro bem mais receber um sorriso, porque isso me faz sorrir junto. Mas quando fazem qualquer coisinha, por menor ou mais simples que seja, eu guardo pra mim e fico lembrando, satisfeita por uma vida. E não falo só de presentes. Até um "tá tudo bem?" quando eu tô de cabeça baixa ou muito calada é visto por mim como algo bom o suficiente.
Ah! Ainda bem que você postou de novo, tava prestes à cobrar. u.u hahahahahaha beijão.

Amanda Tracera. disse...

Acho que foi um dos posts mais sinceros que eu já li aqui, sem falar que foi o que eu mais me identifiquei. Admito que eu prefiro bem mais receber um sorriso, porque isso me faz sorrir junto. Mas quando fazem qualquer coisinha, por menor ou mais simples que seja, eu guardo pra mim e fico lembrando, satisfeita por uma vida. E não falo só de presentes. Até um "tá tudo bem?" quando eu tô de cabeça baixa ou muito calada é visto por mim como algo bom o suficiente.
Ah! Ainda bem que você postou de novo, tava prestes à cobrar. u.u hahahahahaha beijão.

Tyler Bazz disse...

Todo post daqui é sincero, Amanda. Até quando é ficção ;)

(viu, como você faz aquele negócio de ativar 'respostas' nos comentários que tem no seu blog? 10 anos nessa brincadeira e eu não sei as coisas mais básicas)

Amanda Tracera. disse...

Não faço a menor ideia! HAHAHAHAHAHA sempre aparece pra mim a opção "responder" ao lado do "excluir" que vem embaixo do comentário (mesmo quando tô pelo celular, como agora). Nunca ativei nem desativei, principalmente porque também não saberia como. Oo

Tyler Bazz disse...

Hmmm. Aqui não aparece nada.
Brigado, mesmo assim :)

Flores, laetitia disse...

Entendi agora porque você nunca sorriu pra mim. haha. Saudades do blog do Tyler :)

Tyler Bazz disse...

Como não?!
Não conheço ninguém de sorriso mais solto que eu...

comandosemacao disse...

Muito bom, Tyler. Isso me lembrou um fato que, pessoalmente, te digo qual foi.

Tyler Bazz disse...

Vou ficar curioso até a próxima cerveja.

comandosemacao disse...

grrrr! por que nunca aparece meu nome? mas vc já descobriu quem é, sabe-se lá como.

Tyler Bazz disse...

AUAhuaHUAhua abri o blog do link, tem uns "postado por Deni" lá. Deni que cometeu orkuticídio.

Varotto disse...

Valeu! :-)

Tyler Bazz disse...

Caralho, Varotto!
Quanto tempo! Tudo bem com vc?