segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Aquele céu.

Hoje eu lembrei por acaso de uma noite daquelas que eu estava viajando. Já tinha anoitecido, e eu estava passando por uma praça e decidi sentar em um banco. O céu estava escuro de um jeito que eu nunca tinha visto, nenhuma estrela, nenhuma lua, nada. E eu encarei por um tempo e quando me dei conta, havia um rosto nele. Sim, é óbvio, o seu, que outro rosto seria? A princípio não acreditei. Fechei os olhos e ainda te vi, então pensei que era possível que eu tivesse fechado os olhos sem querer. Abri e você continuava lá, sorrindo. Sorrindo longe. Naquela noite eu não fiz mais nada; não li, não bebi, não falei, não saí do lugar, só olhei pra você. E apesar de ter crescido apaixonado por estrelas, o céu daquela noite ainda é meu céu preferido.


Tyler Bazz

3 comentários:

Tali L. disse...

Oh meu pai tbm já senti isso!!!
É Perfeito e emocionante! Amei ler isso porque aqui tbm a noite está divina :D

Ana Lu disse...

Ó meu Deus, que texto LINDO!

Charlie Dalton disse...

Sempre que visito esse blog há um texto apaixonado. Se você morasse em Goiânia, seria compositor ou cantor sertanejo. CERTEZA! (Poderia se apaixonar pelo rock depois, mas aí é outra história...)