segunda-feira, 4 de julho de 2011

Taxa de embarque.

Nós estávamos juntos há pouco mais de um ano e meio e, para não ganhar a descrença cética amarga de vocês dizendo que era perfeito, vou apenas dizer que foi a melhor coisa que já aconteceu na minha vida, sem excluir nada. Eu estava de malas prontas e ela decidiu terminar tudo.

Eu estava literalmente de malas prontas. Seis meses na Alemanha. Estudaria, beberia cervejas, tentaria arrumar um bom trabalho para pagar a viagem dela para lá no fim do ano. O reveillón dos nossos sonhos, dos meus pelo menos. E ela esteve comigo durante toda a preparação da viagem; da prova para a bolsa de estudos até a arrumação da mala em si, me forçando a deixar algumas coisas em casa, me convencendo de que se eu não as usava há anos, não seria agora. E quando estava tudo pronto e eu só precisava dormir, fazer a barba e ir para o aeroporto, ela me chamou para conversar e disse que queria terminar tudo.

(não vale a espera)

E me deu uma série de motivos e explicações ruins. Disse que seria difícil, que a distância nos distanciaria, que eu veria coisas que nunca vi enquanto ela ficaria em casa, me esperando chegar, e que, se não agora, depois de algumas semanas eu acabaria decidindo que eu é que não queria mais, e que então seria melhor assim, terminar agora, sem grandes ressentimentos, do que adiar um sofrimento inevitável. Eu tentei argumentar. Eu achava que, além de mim, só ela saberia do meu amor todo, e só ela entenderia que nada nem ninguém mudaria isso. Que não importa a distância, não importam os olhos azuis, nada, tudo o que eu faria naqueles seis meses seria pensar nela, e sentir saudade, e contar os dias para que ela chegasse. Mas nenhuma das minhas argumentações, explicações, promessas, nada, teve efeito. Ela estava decidida de um jeito que nem parecia dela.

(você nem é isso tudo pra mim)

"Eu te amo", fiz questão de que fosse a última coisa que ela ouvisse de mim, antes de sair. E até hoje não comprei as explicações que ela tentou me vender. Só o que consigo lembrar de ter ouvido ela dizer naquela conversa é "você não é tudo isso. não vale a pena esperar. Você não é tudo isso, não vale a pena esperar. Você não é tudo isso, não vale a pena esperar."


Tyler Bazz

9 comentários:

Natalia Máximo disse...

Caralho, que cruel =~~

Rob Gordon disse...

Como eu disse, me dói dizer que o texto é a sua cara. Mas também me dói dizer que é a minha.

Vamos deixar isso de lado e ficar no "ótimo texto", sem perguntar "de onde você tira essas ideias?".

É melhor assim.

littlemarininha disse...

Doído, hein?! Doeu até aqui. =/

Charlie Dalton disse...

Cara, a guria do texto parece que teve medo de se decepcionar, e tentou inventar uma desculpa pra se livrar de um possível sofrimento. Mas daí fica a pergunta: sofrer com o quê?! Com uma hipótese ainda não confirmada?! Se você não comprou a história dela, eu não pegaria nem emprestado! Cada uma, viu!

Sil disse...

Como o Rob disse, ótimo texto, dolorido sim, mas você coloca em palavras os sentimentos de uma maneira que nos faz senti-los.

Gabriel Leite disse...

Eu acho muita covardia esse lance de "terminar antes em vez de adiar o sofrimento". A maioria das relações fatalmente acaba. Pra evitar futuros sofrimentos então, é melhor ninguém começar a namorar.

Gab disse...

Que covardia da parte dela.
:(
Me fez lembrar de coisas não muito agradáveis esse texto. Só digo que me solidarizo contigo.
Beijo.

Ana disse...

Fuck her.

Camila disse...

Meu olho encheu d'água!