terça-feira, 24 de maio de 2011

Bilíngue

Mis sábanas te extrañan,
y los sábados te añoro
en la dársena dos.
La de dónde te has ido
sin nunca decirme adiós.


Tyler Bazz

9 comentários:

Peterson Quadros disse...

É sempre assim, sentimos falta do que se foi, principalmente quando acontece sem despedidas. Entreguei o teu texto para um casal de uruguaios que trabalham aqui comigo. Eles gostaram um bocado. Abraços

Ana disse...

Oi??

Charlie Dalton disse...

Lembrei da minha vontade de escrever um blog em inglês. É muita pretensão minha, pois meu inglês é intermediário, e corro o risco de escrever em inglês errado.

Bom, vou escrever mesmo assim. Ninguém começa acertando. Se consegue começar acertando, melhor, mas não se pode contar muito com isso.

Quanto ao seu texto, gostei mais uma vez. Composições em outras línguas ainda não cheguei a fazer.

Bonaldi disse...

Desde quando você escreve poesia!?
Dentro do meu parco conhecimento de poesia e espanhol, eu adorei!

(Tá soando estranho, mas isso é um puta elogio!)

Marina disse...

Isso aqui ficou bonito até no Google Translator.

Rob Gordon disse...

Foi a coisa mais linda que você escreveu. Desculpe se a intenção não era ser lindo.

Keka disse...

Ahhh... las dársenas de Sandra siempre suenan y saben a sueños de Salamanca... Arrasou cariño! Uma graça seu poema spanic... ojalá haya siempre más.

Keka disse...

Ahhh... las dársenas de Sandra siempre suenan y saben a sueños de Salamanca... Arrasou cariño! Uma graça seu poema spanic... ojalá haya siempre más.

lana.brasil disse...

Poema bem feito é lindo em qualquer idioma.