domingo, 24 de abril de 2011

Louis Fernán - O Mistério das Horas.

Louis Fernán estava bastante intrigado, o que considerava vital para seu trabalho como detetive. Estava também, dessa vez, um pouco incrédulo. Olhou em volta, procurando algo que estivesse diferente em seu escritório. Seus olhos pesavam, mas tudo parecia estar no lugar. Esticou a mão direita e alcançou a caneca de café, o líquido havia esfriado muito mais do que Lou imaginava. Arrepiou-se pelo amargor da bebida fria, emendou um bocejo, encarou o relógio de pulso por alguns segundos. Não podia ser. Não mais uma vez, não hoje. A janela aberta deixava entrar uma fina garoa, mas o que chamou a atenção do detetive foi a escuridão do céu, o que certamente não era bom sinal. Abriu uma das gavetas de sua escrivaninha e puxou um pequeno relógio despertador, analisou-o. Olhou mais uma vez pela janela, voltou-se para o relógio de pulso. Pensou por alguns instantes. Levantou-se num sobressalto, vestiu o chapéu e correu escada abaixo.

Concluiu, corretamente, que havia dormido outra vez em sua cadeira e estava atrasado.


Tyler Bazz

3 comentários:

Bonaldi disse...

sabe aquela história do texto q ñ se sabe oq comentar? então. Só um estranho reconhecimento. Vai entender.

Jullia A. disse...

Louis Fernán com pitadas de Tyler Bazz. yummy.

Marina disse...

Confesso que me identifiquei com ele, quando invento de dormir depois do almoço.