sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Sempre acontece em trens, sempre.

Um casal de amigos viaja de trem, em silêncio. Dividem a cabine com um homem de aparência simpática, que lê o jornal também em silêncio. Próximo à hora do jantar o homem se levanta e sai com um sorriso.

"Agora ele vai matar alguém," ela diz.

"Hã?"

"Nos filmes, sempre tem um assassinato no trem."

"Haha, verdade."

Os dois falam um pouco mais de filmes, riem um tanto, e esquecem do assunto. Duas estações depois, o homem de aparência simpática volta à cabine, pega suas malas e se despede, com outro sorriso. Embarcam duas mulheres, e os dois amigos vão ao vagão restaurante para umas taças de vinho.

Na parada seguinte, descem do trem; ela fuma um cigarro, ele joga conversa fora. Quando o trem volta a andar, resolvem ir ao vagão da primeira classe, rindo e fazendo piadas sobre qualquer coisa.

Mas ficam em silêncio, brancos de pavor, ao ver que de uma das cabines escorria uma poça de sangue.



Tyler Bazz

11 comentários:

Gabriel Leite disse...

Achei Agatha Christie, toda essa metalinguagem.

BiaAa AlpEr ! disse...

Tyler! Imprevisível, ou previsível; como sempre!

:)

Natalia Máximo disse...

hahaha, verdade total!

Mari Hauer disse...

Ai cruzes!

R. disse...

No dia em que eu viajar de trem, lembrarei disso...

**

Luiza disse...

RÁ! não esperava por isso! Muito bom :D

Le Magnifique disse...

Medo de viajar de trem pela Europa depois desse post.

MaxReinert disse...

Foi vc!
Foi vc quem matou que eu sei!

#surtando#

Anônimo disse...

Me senti em pleno Expresso do Oriente, hehe.

Marina disse...

Fica a dúvida: "Assassinato no Expresso do Oriente" ou o "Trem Azul"? =P

Bonaldi disse...

Lembra aquele do Hitchcock, "Strangers in a train".