sábado, 9 de maio de 2009

Espinhos.

Tinham todas as manhãs uma mesma rotina. Não daquelas maçantes que viram desculpas para traição, mas sim uma daquelas que fazem bem a quem participa, aquela que faz falta se um dia não acontece.

Ele acordava mais cedo que ela, sempre, não importava o horário. Tomava banho, ligava a cafeteira, ia até a padaria e voltava. Levava o café para ela na cama, todos os dias; o café, algo para comer, que sempre variava, e uma rosa, às vezes vermelha, outras amarela, outras cor-de-rosa, mas sempre uma rosa. Ela sorria, beijava-o e dizia que o amava. Assim começavam todos os dias.

Eram uma espécie de casal perfeito, que vivia em harmonia... perfeita, em todos os aspectos. Gostavam dos mesmos filmes e dos mesmos amigos, ouviam o mesmo tipo de música, tinham a mesma opinião sobre livros e autores. Nada de pequenas brigas, que só fazem bem a quem esquece rápido porque sente pouco. Causavam inveja em todo mundo que os visse juntos. E na cama também pareciam ter sido desenhados um para o outro.

Tão grande era a sintonia dos dois que ele não entendeu nada quando, com os olhos cheios de lágrimas, ela resolveu terminar tudo. Foram horas de choro, pedidos de explicação sem resposta... ela garantiu que nada podia ser feito, que aquele era o fim. Então ele exigiu.

"Você não vai simplesmente chegar e terminar tudo. Eu preciso pelo menos saber porque está sendo assim."

"É que...", ela soluçava, "eu detesto rosas."


Tyler Bazz

16 comentários:

Marina disse...

Para pessoas que concordavam com tudo, essa deve ter sido uma desavença e tanto!

Nadia disse...

Pareceque els não eram tão perfeitos assim... mas deve ser tão triste perder alguém por causa de uma rosa.
=/

Nadia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fada Lella disse...

O.o
Coitadoo... pq ela simplesmente não falou que nao gostava de rosas desde o inicio? O.o

Míope disse...

Não existem casais perfeitos.
Que graça teria?

hahahaha
Bom!
Abç!

MaxReinert disse...

ahhhh..... mas eu conheço muuuita gente que aceita tuuuuuuuudo e depois, com a cara deslavada, joga a culpa de tuuuudo no outro..... típico!

Sam disse...

Perfeição demais irrita. E vira rotina.

beijos

Bonaldi disse...

Eta vida besta....... muita perfeição dá nisso. Eu acho.

Elu Santos disse...

Nossa, essa foi de doer! Qual é a mulher que não gosta de rosas???
Ele só queria ser romântico e acabou estragando tudo!!!
Tou com peninha do moço...

Dalleck disse...

Saudade desse blog, rs

Até o mais perfeito tem sua perfeita exceção...

Dragus disse...

Tem um pouco de vida pessoal nesse relato ou é pura ficção?

Primeira vez que vejo mulher que não gosta de rosas.

mariana disse...

faz sentido.

Cissa disse...

sempre que vejo algo que aparenta ser perfeito demais penso que por trás há algo bem sério e incômodo e - por que não? - hipócrita.
perfeição não existe.

Bruna Berri disse...

Sabe que, eu também odeio rosas.
Rosas são extremamente clichês e as de hoje, quase não exalam perfume. Gosto mesmo é de girassóis, grandes, fortes e amarelos, vivos... Em busca da luz todos os dias!
E tudo que é perfeito tende a enjoar, a graça está nos defeitos. Na maneira desastrada de andar e na comida queimada.

Adorei!

Fernando R. Silva disse...

"E sou uma hipócrita", ela não completou?

Mentira. Em pensamento pensava(?): rosa o escambau! Gosto daquele mecânico da esquina, com as mãos cheias de graxa nos meus quadris!

O ser humano, homem ou mulher, é tudo igual.

Stephanie disse...

o grande problema em aceitar as rosas pra não contrariar por tanto tempo é chegar a esse ponto em que elas se tornam algo tão pesado, aburdo e insuportável que se tornam maiores que tudo mais de bom entre os dois.

muito bom o texto, Tyler.

beijos