sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Marcela - Utopia.

Marcela e eu, altamente envolvidos em uma das nossas discussões que, quase sempre, não levavam a lugar algum:

"E não me vem falar de utopia, que você não sabe nada de utopia!"

"Claro que sei, Má... é-", ela interrompeu, claro.

"Dá um exemplo, então."

"Ok, deixa eu ver... bancos. Como é pagar uma conta em um banco? Eu vou até a agência, entro, passo pelos caixas eletrônicos e vou até a porta da agência propriamente dita, aquela que é fechada às quatro. O ar-condicionado ainda não fez efeito e uma gota de suor desce pelo meu rosto. Eu vejo a fila, penso que não deve demorar demais, e começo ir em direção a ela quando sou parado por um funcionário do banco. Ele pergunta o que é, eu respondo, ele diz que eu posso pagar nos correios, numa lotérica, na megaloja ao lado e até no caixa do supermercado. Eu agradeço e continuo até a fila. Pego minha senha; dizem que só posso ficar quinze minutos na fila, mentira. Logo vem uma mocinha do banco, de prancheta na mão, mesma ladainha: ela pergunta o que é, eu respondo, ela me oferece dezoito opções de lugares com filas maiores onde eu posso pagar minha conta. Eu escolhi pagar ali, no banco, será que eu posso? Depois de um tempo na fila eu sou atendido em cinco minutos por um cara feio, de cara feia, e vou embora.

A utopia seria o quê? Seria como? Bem mais simples. Eu entro no banco, sem suar porque não faz calor, e sou recebido por uma atendente linda, simpática, sorridente, que me encaminha imediatamente para o setor de clientes especiais. Lá, sou atendido por outra mulher linda, com um belo decote, que resolve tudo em trinta segundos, depois me convida para um café na área vip da agência. Fim"

"Isso não é utopia, besta. É só uma melhoria. É difícil, certo, mas eles poderiam implantar tal sistema."

"Ah, sim, claro. Eu tô errado, sempre."

"Nem sempre. Quase sempre", ela dizia isso com um sorriso tão lindo que acabava soando como elogio.

"Vai, então, explica aí o que é utopia."

"Utopia seria se você, meu melhor amigo, além de ser essa gracinha que é, e bom de cama, como ouvi por aí, tivesse um pinto enorme e fosse absurdamente atraente, gostoso, sexy, sabe?"

"Pode não ser utopia, Má. Se dizem que sou bom de cama, não vai ser uma decepção; você pode conferir o tamanho do pinto, ué."

"Ok, pode até ser grande. Mas é utopia, porque pra eu comprovar o tamanho, eu teria que ter um mínimo de vontade. Utopia."

Tyler Bazz

15 comentários:

Varotto disse...

Ui! Doeu.

Gessica Santiago disse...

Ah! Seus posts sobre a Marcela são os que eu mais gosto. Pronto falei !

E putz, essa doeu mesmo hein !!

Dalleck disse...

Chupa, pinto!

ops, isso ficou estranho...
ahusuahsa

Jú Carvalho disse...

Ui! Doeu. [2] foi EXATAMENTE o q eu pensei.

Marcello disse...

Ai ai... a Marcela....................



:x

Nadia disse...

Gente... adoro cada vez mais ela.
Quero ser igual a ela quando crescer.

>)

Gabriel Leite disse...

A melhor tirada da semana! Sem dúvidas.

MaxReinert disse...

huahauhauhuaa.......
A tirada é ótima... mas ainda não explica o que é utopia!!!
Marcela... vc sempre pode mudar de opinião!

Sam disse...

Aaai!
Depois dessa o cara deve ter, no minímo, broxado.
(Fiquei com dó, hahahaha)

Beijos

luiza disse...

haha qto tempo eu não aparecia por aqui...tava com saudades de ler sobre a marcela ja! :P

Marina disse...

Seus posts sobre a Marcela são os que eu mais gosto. [2]

Acho que sempre entro esperando ler mais um. Não que não goste dos outros, mas fico pensando na próxima doidice desses dois.

E essa doeu mesmo.

(Dalleck, "Chupa, pinto!" foi foda. Hhauahuahuhua!)

Aline disse...

Acho que eu conheço essa Marcela, hahaha!
;)

amanda disse...

Você e a Marcela ainda vão casar, rs
Tyler eu apoio a idéia de você fazer um livro, além de descolar uma grana, porque é claro que MUITAS pessoas vão comprar seu livro, eu não vou precisar ficar sentada nessa cadeira desconfortavel e com dor nos olhos por causa do pc.
eu não sabia que você escrevia tão bem, fui descobrir hoje seu blog e to aqui lendo suas histórias, desde as de 2006 até as de hoje, sem parar! você escreve muito cara.
beijos, mandiorno

Deisinha Rocha disse...

adorei!

Marcos Gabriel disse...

Cara.....que bizarro..... mas foi ela foi bem objetiva.....