quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Ah, a Universidade.

Paredes já bem gastas do prédio clássico, antigo monastério, circundam o bucólico jardim central, cheio de árvores altas, pássaros, alguns insetos, borboletas, grama e terra - molhada, que choveu. O jardim, por sua vez, circunda o casal recém-formado - um mês? -, que se aproveita pelas horas de almoço no banco de pedra fria.

Ela, sentada reta, costas no banco. Embora uns amiguinhos puxa-saco digam o tempo todo, ela não é a garota mais linda do mundo, nem mesmo a mais linda de sua classe. É bonita sim, não há como negar; mas não, não é A mais. Chegou à faculdade e em seis meses viveu intensamente, se me entendem; então encontrou um mais gentil, que não desceu as mãos na primeira noite, e que a procurou no dia seguinte querendo só companhia; ela derreteu.

Ele já conhecia aquilo tudo, segundo ano estudando sabe-se-lá-o-quê. Criou uma falsa timidez quando, lá pelo colegial, descobriu que havia quem gostasse. Não era feio, mas não, não era bonito; era menos do que ela teria, se quisesse, mas dava atenção e agradava. Ele, sentado de lado ao lado dela, beijava-o no pescoço e orelha e bochecha enquanto conversavam.

Conseguiu, ela se virou e os beijos ficaram entre bocas. Tímidos, no início, mas crescendo em intimidade e umidade. Ela pegava-o pela nuca; ele acariciava-a na barriga; calor. A perna direita dela desliza sobre uma das dele; confirma o que eu pensava: aqueles joelhos nnão conseguem ficar juntos por muito tempo. Ele sente o corpo dela e se arrepia; ela sente a ereção e chega a suar. Mais beijos, mais mãos, calma!, tem gente em volta; mão no pescoço, mas nas costas, o relógio apita, vão embora.

Por desencontros de horários, não se vêem naquela tarde, nem naquela noite, nem no outro dia. Se encontram só às nove da noite, e beijam-se apaixonados antes da ida de mãos dadas à festa. Ele, já sentindo falta dos mamilos da vizinha; ela, ainda com o outro escorrendo nas pernas.


Tyler Bazz

26 comentários:

Gabriel Leite disse...

Deve ser mesmo muito inspirador observar os estudantes de uma universidade.

Só acho um pouco difícil essa... Vagareza. Rs

paulonando disse...

Bem pensado, bem bolado, bem executado.

Pâmela disse...

Essa história saiu muito, sei lá, estranha.

Lady Dari disse...

Serah q saiu stranha Pamela?
Se pararmos para observar/analisar alguns relacionamentos "puritanos", notaremos o desejo estampado em suas fuças e cada gota de suor escorrendo qdo tenta-se fugir dos apertoes de maos enlouquecidas. E pára ai. Sab lah Deus o q c passa nas mentes insanas e o q fzm para "aliviar" o desejo contigo em seus corpos. Depois, de braços dados, desfilam a coerencia de um casal ingenuo e bla bla bla...

Na verdad verdadeira, naum sei c foi isso q o post quis transferir ou c realmente foi apenas uma nota criada a partir de alguem que assiste os casais na faculdad... hsauhsua

Bom, o q importa eh q como sempre, o *homenzinho de chapeu* prendeu minha atençao por escrever VÉRI bem...

\o/

Pâmela disse...

Concordo que Tyler novamente escreveu muito bem. Mas ainda acho que essa saiu estranha.

Lady Dari disse...

inda bem q os posts dele naum surtem o mesmo efeito em tds os leitores neh?
naum teria graça!

pelo menos concordamos q ele escreveu bem
^^

=)

Stephanie disse...

Tyler, comecei seu texto lembrando dos meus primeiros tempos de faculdade e todo o trabalho de conter avanços e permiti-los um inferno essa coisa de boa moça, os insintos as hipocrisias, enfim

eis que você ataca com esse ótimo desfecho, muito rodriguiano por sinal. Adorei.

e me senti muito boa moça, porque em anos de faculdade nunca me ocorreu soluções tão pragmáticas hahaha

beijo

Marcio Sarge disse...

Um dos seus melhores textos em minha opinião.
Com fluidez e de forma clara ele mexe com o que todos lutamos pra esconder, não os desejos, mas sim a forma como os pomos pra fora.

Foda!

Marcio Sarge disse...

Tyler, sei que está acostumado, mas mesmo assim deixo um selo lá no blog pra você.

Até

mariana disse...

acho que um texto desse deixa as pessoas balançando a cabeça afirmativamente com um sorriso sacana no rosto. xD
a descrição do menino é A melhor.

ok, convenceu (sobre ser/não ser mensageira). adiciona mariana_assoni@hotmail.com que te falo o que ela achou.

Tyler Bazz disse...

Queria ser competente assim pra convencer pessoas em assuntos financeiros :/

Senso crítico disse...

Não gostei da forma como finalizou. Ficou parecendo um conto erótico barato. Sem querer ofender, é só uma opinião.

Tyler Bazz disse...

Opinião aceita, soube expor.
Mas eu prefiro quando não é anônimo :)

Barbarella disse...

Como diria uma velha esfinge:

Decifra-me ou eu te devoro!

Barbarella disse...

Te ofereço meu selinho (nossa, que frase mais ambígua e ridícula).

Passa no meu Barbarella, penúltima postagem.

Sim, você tem um blog que vale a pena babar, digo, barbarellar...

kilder disse...

legal o seu texto, bem diferente, mas nao consegui entender mt bem...acho q vou ler denovo! rssss
t+

Larissa Bohnenberger disse...

Ah, que saudade que eu fiquei da faculdade, agora... não tanto das salas de aula e das provas, mas dos prédios, dos jardins, dos colegas, das relações e desejos presos dentro de seus muros... pronto! Fiquei nostálgica! É que a sua descrição do local onde o casal se encontrava é muito parecida com o campus onde tive a maior parte das cadeiras básicas de meu curso.
Adorei!
Bjs!

Favoretto, Thais. disse...

ela não era A mais bonita porque não era a marcela. hahahah
nota-se uma certa hostilidade por parte do autor para com a personagem; coitada!

você tá no segundo ano de faculdade estudando sabe-se-lá-o-quê, né?

beeijos, jovem! ;*

Favoretto, Thais. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Favoretto, Thais. disse...

eu jurava que vocêd já tinha recebido o "até que enfim um blog de qualidade" do gomex ou da rejane.

Favoretto, Thais. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MaxReinert disse...

Não achei conto erótico barato... achei bacaninha....

Nem tudo tem que ser literatura inesquecível de primera grandeza heróica... rsssss

Marcello disse...

Quase um pornoblog :D
AHUHAHHAUHAHHAUAHHA

E adoro quando eu tenho a sensação de que você se referiu a alguém mas não tenho certeza disso huhuuh

Fernando Ramos disse...

E eu que pensei que ela voasse.

Mas, de fato, e até por conta da intensa vida que levou quando chegou à faculdade, jamais a veria voando. Nenhuma delas voa. :)

De qualquer forma, quem vai sa dar mal na história depois da festinha é ele. Afinal, mamilos de tabela não são tão nojentos quanto pênis de tabela. Mas já diria o nome do segundo disco do Raimundos; Lavô, tá novo.

Anônimo disse...

Darling.... you have style. Keep it, improve it, challenge it.
Congrats

-any valette disse...

linha um: "aaaah, faculdade, não vejo a hora de passar no vestibular!"

linha 12: "ai que fofo"

últimas linhas: " WoW "



mui bueno :)