segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Meeting Rob Gordon - Final


Eu e meu primo ouvíamos tranqüilos a música quando descobrimos de onde vinha. Rob, trêmulo, tirou do bolso um celular e anunciou: "É a Sra. Gordon." No mesmo segundo os sorrisos desapareceram, e em nossos rostos surgiram expressões de pura preocupação e angústia. O conteúdo da mensagem nos foi informado: "mas como vcs falam alto hein :)". Claro que era brincadeira. Só podia ser. O smiley ao fim da mensagem deixava isso claro. Ela não estava ali. Ela estava em São Bernardo do Campo, ou em Nova York, ou na Sicília. Enfim, o que eu quero dizer aqui é que nós diminuímos o volume de nossas vozes porque nós quisemos, e não porque uma baixinha metida a nervosa, amada idolatrada salve salve, respeitável dama sugeriu. Que fique claro!

Marcelo cogitou argumentar que o barulho vinha da mesa ao lado. Ele, apesar de ser uma pessoa muuuito avançada para sua idade, é apenas um novato e ainda não conhecia a regra básica quando se trata dela: você não argumenta, você obedece.

Junto com a oitava rodada de Cocas, a picanha foi servida. Seria injusto dizer que me faltam palavras para descrever o que era aquela peça de carne bovina. A língua portuguesa dispõe de um vasto campo lexical, que poderia dar-lhes uma boa noção da cor, do aroma, da textura, da maciez e do sabor daquela picanha. Não a descreverei apenas porque sei o tamanho do sofrimento que isso me causaria. Não se pede para uma mãe descrever a morte de um filho; não se pede para que eu descreva aquela picanha.

Fazíamos um brinde ao homem que um dia decidiu queimar a carne antes de comê-la, e um brinde ao outro homem, o que um dia decidiu queimar muito pouco a carne, quando um alvoroço ainda maior que o "normal" na mesa ao lado dizimou nossa paciência. Não era apenas jantar em paz, era questão de sobrevivência, uma vez que Sra. Gordon já havia reclamado do barulho. Meu primo respirou fundo, Rob levou a mão às têmporas, eu fiz um leve sinal afirmativo com a cabeça.

Levantamos os três e fomos na direção da tal mesa, decididos a tratar aqueles homens com o respeito que eles não mereciam. Marcelo tomou a palavra, louco para mostrar o porquê da alcunha "Billy the Kid":

"Eu vou ser bem claro, quem sabe vocês entendem. Este não é um lugar privado, e tem muita gente aqui que não está aproveitando a noite por causa do barulho de vocês. Eu vou, nesse caso, estabelecer uma relação condicional aqui: SE vocês ficarem quietos, continuam inteiros. Alguma dúvida?"

Um dos homens ergueu a voz: "Vai se fod-", mas antes que ele terminasse a frase, uma garrafa de cerveja, antes na mesa e agora na minha mão esquerda, quebrou-se contra seu rosto, dando um novo e belo tom vermelho a seu colarinho. Outro deles tentou levantar, mas ao menor movimento, Rob já lhe havia furado a mão com um garfo, abafando o grito de dor com um pedaço de pano que estava antes sobre a mesa. Ainda segurando o resto da garrafa, varri o restaurante com os olhos e não vi desaprovação em um rosto sequer.

Marcelo continuou, só ele falava: "Acho que nenhum dos senhores ainda está interessado em atrapalhar nosso jantar." Ele aproximou-se então do rapaz mais novo daquela mesa, que era, ainda assim, quatro ou cinco anos mais velho que ele. Deu duas batidas leves no ombro do jovem e disse, calmo: "Garoto, vê se pára de tremer e cuida dos amiguinhos." Rob e eu não pudemos conter os sorrisos. Duas gerações satisfeitas com o futuro.

Voltamos para nossa e comemos tranqüilamente. Entre uma garfada e outra, recebíamos o agradecimento de funcionários do restaurante e de clientes, como o Capitão Haddock; e fazíamos, entre nós, comentários cheios de pesar e até mesmo alguma dó, sobre os tais vegetarianos que não se contentam em apenas não comer um prato como aquele, mas que precisam fazer campanha contra os que comem. Pfff, pobrezinhos.

Após uma picanha, uma porção de batatas-fritas, e 37 latas de Coca-Cola (nas versões "normal", "zero" e "geli-limão"), nos despedimos e fomos embora. Todos os três certos de que, seja em Manaus, Cuba, Itália ou ABC, estaremos sempre prontos para picanha no Degas, regada a pão, Coca e sangue.

[continua]

Mentira! Agora acabou mesmo.


Tyler Bazz

37 comentários:

Gabriela disse...

hahahahahaha

Quase morri quando vi o 'continua' ali em baixo!
Me enganou e por um segundo me fez criar por você um ódio mortal!

A Banana é minha conterrânea!São Berrrrnarrrrdo vai dominar o mundo! \o

Muiiiiiito bom,Tyler!
Espero mais sagas como essa.

;D

Gabi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gabriela disse...

Ahhhhhhh!

P-R-I-M-E-I-R-A!
hahaha
Síndrome Gilgomex!

Rejane Oliveira disse...

"SE vocês ficarem quietos, continuam inteiros. Alguma dúvida?"

Me emocionei ao ler esta parte...

Fala para o seu primo que ele já é meu ídolo... que venha a nova geração... uhuuuuuuuuuuuuu

Ma ai tyler, pq será que eu estou achando que seu nariz está crescendo um pouco hein...

garrafada na face e ainda está inteiro... hurummmm sei...hauhuuhauah

bjos

Lady Dari disse...

q naum tenha mais saga...
\o/

MaxReinert disse...

huahauhaua... e o médico da mesa de trás levanta e grita:

-É melhor não contrariar!!!

hehehehehehehhehe

Rejane Oliveira disse...

Uma pergunta:

E a carolina?

Dalleck disse...

Eu pensei que ia terminar falando: "aí eu acordei" =D Muito estranho os 3 patet... digo, vocês 3 terem virado machos de uma hora pra outra! Agora vou ler o Meeting Tyler pra tirar essa história a limpo...

Rico disse...

Aos descrentes, faço um convite a fim de sanar todo e qualquer tipo de dúvida. Em menos de sessenta segundos...

atenciosamente,
Billy the Kid

Gilgomex™ disse...

"Um dos homens ergueu a voz: "Vai se fod-", mas antes que ele terminasse a frase, uma garrafa de cerveja, antes na mesa e agora na minha mão esquerda, quebrou-se contra seu rosto, dando um novo e belo tom vermelho a seu colarinho. Outro deles tentou levantar, mas ao menor movimento, Rob já lhe havia furado a mão com um garfo, abafando o grito de dor com um pedaço de pano que estava antes sobre a mesa. Ainda segurando o resto da garrafa, varri o restaurante com os olhos e não vi desaprovação em um rosto sequer."

Ok. Neste moemtno eu comecei a duvidar da veracidade dessa história toda... Mas, uóréver... Quem sou pra desacreditar de algo tão previsível. Aluta pela sobreviv~encia sempre foi vencida pelos carnívoros.

Míope disse...

Hahahahaha
Graande Billy the Kid.

Os carnívoros fizeram a festa!


Cara, muito bom!
Uma obra prima!

Abç!

Tyler Bazz disse...

"São Berrrrnarrrrdo vai dominar o mundo! \o"

Gabriela, sua ingenuidade me emociona, sabia?

A BANANA vai dominar o mundo. SÓ ELA.
São Bernardo vai continuar sendo o B do ABC....

Tyler Bazz disse...

Isso se a Banana não resolver mudar o nome do ABC também, e batizá-lo de "A Banana Comanda".

Gessica Santiago disse...

Aewww
õ/
Acabou
pensei que ia ver parte 5,6.7 ...

Já disse que você escreve muito bem ?
;)

Beijos !!!

Listen My Soul disse...

Então a trilogia dos Poderosos Blogueiros e seu fiel encrenqueiro chega ao fim.

Que beleza!!! rs

Marcio Sarge disse...

Comentei com o login errado, acho que tenho dupla personalidade, então ta ai:

Então a trilogia dos Poderosos Blogueiros e seu fiel encrenqueiro chega ao fim.

Que beleza!!! rs

A. Lichtenstein disse...

uaueuhaeuhaeuha
a parte da briga é emocionante demais. :)
e muito engraçado parte de descrever a picanha também.. meu, muito bom mesmo

:D

A. Lichtenstein disse...

uaueuhaeuhaeuha
a parte da briga é emocionante demais. :)
e muito engraçado parte de descrever a picanha também.. meu, muito bom mesmo

:D

Favoretto, Thais. disse...

Pão e circo. o/
Você é muito engraçado, ô Zé briguinha!
xoxo,

Favoretto, Thais. disse...

Não sei o que eles têm de enigmáticos, Zé briguinha!

_

Não estás sempre bêbado?
Então sua coca-cola é adulterada, meu bem.

HAHAHAHAHAHAHA ;x

Beeijos!

Favoretto, Thais. disse...

p.s.: sua picanha me proporcionou diversas emoções aflorantes.
primeiro, tive vontade de comer um boi inteiro. depois me senti mal por querer comer outro ser vivo. é canibalesco isso.
mesmo Nazarian afirmando categoricamente que TODOS os prazeres são orais, me sinto mal em comer um pobre boizinho, que não tem como se defender.
Então pensei em comer uma vaca, mas ninguém come carne vaquina (?), ou come?
Larguei o devaneio e fui comer salada verde, ok!

Favoretto, Thais. disse...

Estás interado no assunto vaquino (?). Andou comendo muitas vacas por aê? hahaha
Então posso comer alguém que ainda esteja na adolescência. (6)
Quantos anos você tem?
HAHAHAHAHAHA ;x

Favoretto, Thais. disse...

p.s.²: gostei do novo lay.

Favoretto, Thais. disse...

Tenho 17, com carinha de 12 e a idade mental não evoluiu muito desde os 5 anos de idade. :B

Favoretto, Thais. disse...

A complicação é relativa.
Até os 14 anos é pedofilia, então dos 15 anos em diante é considerado sedução de menores, e dá, no máximo, 200 horas de serviço comunitário.

Favoretto, Thais. disse...

Não sou "quase" grande. quem dera!
Sou pequenina.
E se passa é porque concorda. :B

Favoretto, Thais. disse...

não ria do meu e-mail pré-adolescênte, ok!
tatah.barbie_bdf@hotmail.com

Favoretto, Thais. disse...

"Meu, cansa chat de blogger."

Paulistão! hahaha

Bella... disse...

ta explicada a psicose relatada pelo Rob...rs


Quero picanha + coca jáaaaaaaaaa

Bruno disse...

Que coisa mais Bukowski!
Adorei!

gabriela disse...

Ok,Tyler.

Eu me retiro!

oO

Banana disse...

Retira nada, Gabriela.
Parto em defesa de Bernô City.

AVANTE ROHIRRIM!

En passant: a sugestão do novo batismo da região da Grande São Paulo vai ser acatada pelo Vice Prefeito de São Bernardo do Campo Frank Aguiar, em ato solene no Riacho Grande, no próximo final de semana.

Deisinha Rocha disse...

ok...
o efeito da substância contida na coca de vocês só passou efeito depois de vc escrever este post...

tenho certeza...

v6, amendrontando uma mesa de homens q apenas falavam alto???

hum-hum!!!!

tá... eu acredito se eu ver uma borboleta cantando q nem passarinho...

rsrs

bjOo Tyler!!!

Dalleck disse...

O Tyler do blog... digo, o blog do Tyler ganhou um selo do Farofa à Milanesa =D

www.farofaamilanesa.blogspot.com

Rafael Terra disse...

Muito legal teu blog, cara! Volto aqui mais vezes.

theo disse...

e eu que pensei que o tal Billy The Kid era um imbecil.

devaneios...

Larissa Bohnenberger disse...

Ahahahahahahahah!
Esse encontro tinha que ter sido filmado!
Adorei! E me sinto muito aliviada de vocês terem descoberto finalmente o real paradeiro de Carolina Villenflusser.
Bjs!