sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Marcela - A Conta.

Fomos num bar uma vez. Marcela, eu, e mais uma galerinha. Lugar legal, noite boa, muita bebida, muita conversa, muita risada. A banda que estava tocando também era ótima, tudo ia bem.

Na hora de pagar a conta, problema. Feita a vaquinha, faltava ainda uma boa parte da grana - noite legal demais dá nisso, a gente bebe sem perceber.

Fazer o quê? Eu me encostei no balcão e fiquei só assistindo. Um dos caras ligou pra mãe, tentando fazer ela ir até o bar levar dinheiro pra ele. Uma das meninas foi procurar a irmã mais velha, que também estava lá no bar (se agarrando com outra menina), duvido que conseguisse alguma coisa. E quando meus olhos passaram pela Marcela, consegui ler seus lábios dizendo algo tipo "posso falar com o gerente?" - Foi o suficiente pra que eu olhasse a Marcela.

O tal gerente veio, a menina do caixa ia começar a contar o que acontecia quando a Marcela interrompeu, com o maior sorriso do mundo, e explicou toda a situação. A cara de poucos amigos do gerente foi se desfazendo a cada palavra sorridente da Marcela, que dizia ter esquecido a bolsa em casa, e a parte que estava faltando na conta era dela - fazendo as contas, se ela tivesse bebido tudo o que estava faltando naquela conta, ela passaria por uns dois comas alcoólicos na mesma noite.

O cara parecia estar realmente acreditando. Ou fingindo muito bem. Em menos de cinco minutos de conversa, as mãos dele já tentavam tocar a Marcela vez ou outra; ela já não sorria, só ria; e dos dois eu pude ouvir que "a gente pode resolver isso de outro jeito..."

Foi quando apareceu o Júnior, gritando para que o bar inteiro soubesse: "Arranjei a grana! Consegui!" - O sorriso do gerente se desfez, enquanto a Marcela fechava a cara e ia para o caixa, resolver logo aquela conta. Fomos embora.

Na volta, depois da carona, quando descemos do carro, perguntei pra Marcela: "Você ia mesmo dar praquele cara... só por causa da conta?"

Ela riu, só riu, não me respondeu.


Tyler Bazz

19 comentários:

Natanael Garcia disse...

kkkkkkkkkkkk, nessas horas eu queria ser o gerente rsrsrsrss, ops hehe

Natanael Garcia disse...

Alias os blogs hojem estão dedo duro heim? ahuhueuhu, espero naum fazer nada q me ponham na net, e blog ainda rsrsrs

♥ Roberta... disse...

Primeiro eu grito: “2000” comentários? Depois eu penso: “É trambique!” Bom, acertei!

Mulher tem um poder... o cara era bonitinho?

Desculpe a ausência, volta às aulas, to meio perdida ainda. Tenho nova postagem... te espero lá. Beijos...

Marina! disse...

ela não ia dar pra ele, óbvio.
não é ironico.
UHAHUAHUA

Hélder, o míope disse...

Hai ai...ela só queria ajudar!

kkkk

Bão demais.
abraço.

Maria disse...

Sou muito mais sair correndo! hehehe

beijos
www.outroblogdamary.com

Ulisses disse...

Essa Marcela lê, ou sabe que vc escreve dela aqui? Li os outros contos dela e são ótimos.

Larissa Bohnenberger disse...

Essa Marcela... só Deus sabe o que ela faria se não tivessem arranjado o dinheiro! Hehehehe!
Bjs!

Thierry disse...

garanto que ela so ia dar o telefone dela, e ia dar errado o numero ainda.

www.meusquadrinhos.blogspot.com

Daniel disse...

hahahaha muito bom. Muito bem escrito. Crônica das boas.

Gosto demais disso, cara. Vou guardar teu endereço.

Fláh disse...

hahaa
sempre tme um outro jeito né?

Cissa disse...

huahauhauahuahuahau...

quem cala, consente... 8-)

bob.loco disse...

orra te juro que mi assustei quando li 12 000 comentarios
depois mi liguei do truque
sahuashauash
mto bom

blog loco

bejundaaaaaaaa

Nana Lopes disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
pobre gerente!!
Tiraram o doce da boca dele

Isa disse...

mas CLARO ! ou vc ia preferir lavar prato ?

SAMANTHA ABREU disse...

ahahahahahahaa!
tava com saudade da Marcela e suas aventuras.
Garota danada!

um beijo, Tyler!

Eilahhh disse...

A Marcela poderia ser uma boa jogadora de xadrez... Ou qualquer outra coisa ^^

=*

Gabrielle disse...

17000 comentários? Juro que acreditei!

Nossa, tava sentindo falta da Marcela. As aventuras dessa garota dariam um bom livro. Eu compraria!

Beijo, beijo!

Fernando disse...

"A cara de poucos amigos do gerente foi se desfazendo a cada palavra sorridente da Marcela". Isso é o sexo masculino cru e nu, sem dúvidas. Muito bom!

É por isso que a mulherada fala que pra fazer um homem de besta e conseguir o que quiser, basta se insinuar um pouquinho. E "a gente pode resolver isso de outro jeito...", não é pouca insinuação. Aliás, é um convite.

Agora, Tyler, sobre a pergunta que você fez pra Marcela no último parágrafo, tenho certeza que ela não voa. :)

Abraços!