terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Cervejas, Piratas e Sangue - Parte I - (História Verídica)

O dia, como todo dia de Janeiro, tinha sido quente como o inferno. A noite chegou e com ela a temperatura caiu, e uma chuva se formou sobre a cidade. Enquanto me vestia, com minha jaqueta e calça jeans, meu All Star velho e minha camiseta favorita, famosa por tela nela estampada apenas a palavra "Puto!", ouvi os trovões ao longe e os raios cada vez mais claros. Aquilo denunciava, a noite podia não ser tão boa.

Marcello Truzzi, meu sócio e irmão, passou em minha casa e fomos ao supermercado, compramos as coisas necessárias, algumas desnecessárias também. Diverti-me um pouco com jogos eletrônicos enquanto ele acabava de se arrumar. No céu, os raios não paravam de cair, resolvi ignorá-los. Não deixaria uma chuvinha à toa e comum atrapalhar minha noite de sábado.

Chegamos à festa, munidos de nossas cervejas, provocando, como sempre, sorrisos em uns e carrancas em outros. Raramente alguém fica impassível a nossa presença, embora uma das coisas que mais desejo seja passar desapercebido pelos lugares que frequento. Ignoramos, com superioridade, os maus olhares que nos lançaram, e juntamo-nos a nossos amigos e amigas, que, como de costume, seriam parte fundamental de nossa agradável noite. As cervejas foram postas no gelo, e então nos distraímos, buscando diversão e boas fotografias.

A jogatina começou e trouxe-me mais uma sensação ruim. Marcello e eu fomos derrotados por Fernando Geléia, meu capanga e amigo já de anos, e Luiz Fernando, grande amigo também e dono da festa em questão. Perder para eles é completamente aceitável e até divertido. Não importa quem ganha ou perde, o importante ali é subir na mesa e fazer barulho. Após a derrota, buscamos outras distrações, e estávamos no meio de uma conversa com Thunder, um gigante viciado em cinema, e Nih, um baixote viciado em animes, quando fomos informados do que era, até ali, o pior fato da noite.

"A Cerveja é sagrada", dizia Ronald MacDonald, um velho palhaço irlandês que conheci. Eu levo isso a sério, Marcello leva isso a sério, todos os nossos amigos levam isso a sério, até mesmo as garotas levam isso a sério. Não se mexe com a cerveja de um homem que não seja seu amigo. Mas foi isso que fizeram. Fui avisado por Marcello de que nossas cervejas todas haviam sido consumidas por uns alguéns, que infelizmente sabíamos ser quem, mas não tínhamos como provar, e qualquer tipo de acusação sem provas não merece ser ouvida, mesmo num caso desses.

Após alguns minutos de revolta, resolvemos relevar a questão das cervejas. Os culpados seriam punidos, mais cedo ou mais tarde; nada precisava ser feito às pressas. Foi quando surgiram conversas sobre não sei o quê, e o que fazer, e seja lá o que for, quando alguém (pode ter sido eu, não lembro) falou em mímicas, filmes, vai saber. Em dado momento, levantei-me de forma estranha, com alguns trejeitos conhecidos, tirando até um "Mas o que é isso, gente?" de uma senhora presente. Era a minha já famosa, conhecida, fantástica, manjada imitação.

"É o Capitão Jack Sparrow!", uma voz gritou.

Foi quando a noite mudou completamente.

[Continua...]

Tyler Bazz

20 comentários:

Marcello disse...

Até aí, tava (quase) tudo lindo... Mas o que vem a seguir é outra história (ou outro post)...

:*****

Nala disse...

aaaaakakak
posta minha historinha em quadrinhos depois akakkakaka

Thunder disse...

eu não sou gigante auhauh x)
e sim, a partir de agora fica ruim ;~

Kiki disse...

nossa eu estou suppppper curiosa para ler o resto... escreve mim!!!!!

=P~

Sissi disse...

eu ia achar SUUUUUPER legal se de repente tivesse só duas palavras no próximo post!!! =D
huahuahauhauhauhau

Eilahhh disse...

Eu acho que eu gritei "Piratas do Caribe!!!"!!!

Ulisses disse...

"Não se mexe com a cerveja de um homem que não seja seu amigo." ótima frase!

Fernando disse...

Sempre, isto é certo, sempre que se releva algum desconhecido ou pouco conhecido, que bebeu de nossa cerveja, dá merda.

Sei de um caso em que uma mulher levou uma bordoada de uma amigo de seu namorado por beber da cerveja dele. É verídico. Aconteceu no comercial da Skol. :)

Abraços e espero pela continuação!

Roberta Andressa Mondadori disse...

Quando termina a cerveja, primeiro vem à lamentação, depois a arrecadação... costumo correr dessa parte. Quero urgente a continuação!

Se fossem meus amigos, logo estariam fazendo um fervo que não deixaria o bairro dormir... o povo que da vexame! HAHAHAHH

Beijos...

Gilgomex™ disse...

gostei da nova (?!?) logo do blog!

cara... cerveja é sagrada sim... e ponto!
não importa onde, não importa quem, não importa porque, nem nenhuma outra palavra utilizada para questionar...

Jack Sparrow?
ai.

a única imitação (e ruim) que eu faço em meus movimentos festeiros, é a de Coisinha de Jesus.

PS: eu tava pensando em postar algo tb sobre jogatina e álcool...

PS 2: no caso, o álcool éra vinho e não cerveja.... mas tb é sagrado.

Gilgomex™ disse...

PS 3: seus amigos lêem seu blog...
que coisa mais diferente... rs

Rob Gordon disse...

Cara, coloca logo a continuacao disso. Porra, quero ver como acaba!

Emanoel Ferraz disse...

Muito bom rsrsrsrs...

estou doido pra ver a continuação...

MH disse...

Noite boa:
viciados em cerveja
viciados em jogo
viciados em anime.
não tem como dar errado
É so respeitar a cerveja que é sagrada
hahahahaha

Adilson Jorge disse...

Nossa, ótimo texto (aguardo a continuação).

Acredita que para mim a cerveja nunca foi sagrada, não gosto. Prefiro coisas mais fortes ... porém, não dispenso, quando convidado, uma festa regada à cerveja. Tudo vale a pena. Muito menos quebro a regra de "não mexa na cerveja dos outros". Também tenho um amigo viciado em cinema (ele prefere uma taça de vinho, acho que mostra assim maior intelectualidade ou pseu-intelectualidade, não sei), e uma amiga que é viciada em anime (já começa que ela é japa, mas odeia que a chamem assim, mesmo eu não resistindo... ela fica mais bonita brava, sabe como é).

Aguado, como disse, a continuaçã.

Parabéns pelo blog e se quiser, dê um pulo no meu!
Abraços
http://blogonews.blogspot.com/

Miss Fat disse...

Olá, gostei muito do jeito que você escreve. Vou voltar outras vezes. Beijinho.

Marina disse...

Diverti-me um pouco com jogos eletrônicos enquanto ele acabava de se arrumar.

lá no fliperama assim UHHUHAUAHUHUAHUHUAHUAUHHUA
foda eu ter perdido isso ¬¬

Lucas disse...

E aí, velho! Adicionei o link do seu blog no meu, já que tenho entrado aqui com uma certa freqüência (apesar de nunca comentar... hehe)

Abraços.
Lucas
http://almabebada.blogspot.com/

Cíntia Freitas disse...

geeeente, quero muito saber o fim dessa história!!

Hélder, o míope disse...

continuaê.

x)