quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Delírios

Olhava pela janela, com os olhos ainda cheios de lágrimas. Sexto andar, vista para a avenida mais movimentada da cidade, vento nos olhos, quase noite. Nunca houve uma briga tão feia entre ela e a mãe. Ambas disseram coisas que não se diz; ambas mentiram, exageram, para nada mais que apenas magoar a outra. Foram quatro longas horas de choro e dor, desde que a mãe voltou para o trabalho. Não conseguia entender porque aquela mulher tentava tanto manter o controle de tudo em sua vida; seus amores, seus amigos, seus trabalhos. Imaginou-se sozinha, tomando as próprias decisões, sem palpites nem conselhos desnecessários. Distraída com o movimento dos carros, parou de pensar.

Viu os carros e motos e ônibus indo pela avenida, em qualquer sentido. A rua que formava o cruzamento também tinha o trânsito intenso. Enquanto o sol baixava, o barulho dos motores foi coberto por uma freada brusca, aço retorcendo, vidro quebrando. Ela nunca tinha visto um acidente antes, não sabia o que fazer. Pensou em descer para socorrer, pensou em fotografar, pensou se podia ter alguém ferido.

Foi então que reconheceu o carro, espremido entre o poste e o ônibus. As lágrimas começaram a rolar mais uma vez, agora muito mais intensas. O choro se transformou em desespero quando viu, caída com a cabeça sangrando para fora do carro, sua mãe. Ouviu uma sirene se aproximando, viu as pessoas na rua se aglomerando em volta do corpo. Não viu nem ouviu mais nada.

"Você viu que acidente horrível aconteceu aí na frente do prédio?", a mãe perguntou enquanto fechava a porta do apartamento. Quando se virou e entrou na sala, colocando a bolsa sobre o sofá, viu a filha caída no chão, desacordada. Ligou para a emergência, pediu ajuda aos vizinhos do mesmo andar. Pegou a filha nos braços, chorando. Ouviu uma sirene se aproximando, viu os vizinhos se aglomerando na porta do apartamento. Não viu nem ouviu mais nada.


Tyler Bazz
(loucura esse fim de ano na faculdade. falta tempo.)

11 comentários:

Marina disse...

um dos mais legais, de novo!

Victor the Stranger disse...

Romeu e Julieta versão mãe e filha?

A_for_Anetta disse...

Pena que não tem trânsito aqui pra eu observar quando brigo com minha mãe uahuahauahuahauhauahua

ps: pare de bisbilhotar minha vida, Mim! auhauahauahua

Tecnologia - O Mundo das Novidades disse...

Nossa, muito interessante a história...Bem contada...parabéns!!!
Abraço!

Tatuscula disse...

Muito legal seu Blog. Textos interessantes, com uma escrita inteligente.. gostei mesmo.
Tu devia ser escritor...tem talento para isso.

www.tatuscula.blogspot.com

amélia disse...

gooostei :D

Sissi disse...

J'ai lu le test et je l'ai trouvé très interessante.
Je t'aime beaucoup, mais ce ça tu déjà sais.
J'ai besoin de te voir plusieurs fois dans la semaine parce que tu me manque a chaque seconde.
Mais je me calme parce que te verrais le demain matin, mon Amoureux.
Je ne me préoccupe pas encore parce qu'en vendredi j'irai chez toi pour t'aimer beaucoup plus! ^^
Bisous!!!

Julia disse...

Puutz .. legal eh o seu blog.

Gostei muito!

Beijos

taiscarla disse...

uaaaaaaaau
mto bom
Mesmo!!!!

e to loka p/ conhecer sua nova personagem hehehehehe

SAMANTHA ABREU disse...

que beleza!
texto bom pra caramba, Tyler!

Adorei!
beijos!

Fernando disse...

Taí algo que acho de um grande talento: contos tristes, com fundos de percepção, com lições pequenas de vida.

Parabéns, Tyler. Muito bom!

http://colunafantasma.blog.terra.com.br