quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Batalha.

Não bastasse o estado de cansaço, não bastasse o frio; aquele barulho. Pulsava sem parar, entrando pelos ouvidos e chegando ao cérebro, moendo. Era mais que irritante, era mais que insuportável, era mais que cruel. Era um som que me fazia tremer, chorar, odiar. Ele não iria parar enquanto não conseguisse o que queria.

Me levantei numa explosão muscular que não via em mim desde meus 12 anos. Meio segundo depois, tudo doía. Tudo mesmo. Meus joelhos mal me deixavam em pé, meus braços não eram capazes de segurar sequer uma garrafa de cerveja, minha cabeça não conseguia formar uma frase que fizesse sentido.

Lancei o braço ao vento e acertei. O barulho parou. A dor era enorme, aguentei em silêncio. Arrastei meu corpo por alguns poucos metros, encontrei uma parede. Ao apertar de um botão, tive luz. Uma luz forte que transferiu a dor de toda e qualquer parte de meu corpo para meus olhos. A dor me fez pedir para não ter nascido. Uns minutos depois, a dor começou a diminuir. Foi quando pude finalmente abrir meus olhos, olhar em volta e constatar.

Acordei.


Tyler Bazz
(ouvindo Hellacopters)

8 comentários:

Marcello disse...

Uia... Mais uma questão: e quando gente sonha que tá com dor no corpo todo?
haUhaUHuAHuha


o/

Marina disse...

AI!

Cash R. disse...

...meu...para de usar essas coisas...

...começam a fazer mal depois de um tempo...

Victor the Stranger disse...

Pensei que vc tava narrando um show de hard rock.

A_for_Anetta disse...

Isso na minha terra tem nome: ressaca! E das brabas!

Meu pai é o ser mais sarcastico que ja conheci! E faz boas piadas, só não é legal qndo eu to falando sério e ele solta uma pérola... ODEIO! uhauahua

=****

disse...

Hhahaha
confesso que fui ficando tensa conforme lia seu texto! hahaha!
adorei!

SAMANTHA ABREU disse...

ui!
a luz doeu até aqui

- insideabreak disse...

disseram que uma pessoa que morre dormindo sofre os mesmos sentidos...